O ritual: do caminho dos deuses ao comportamento nos negócios

Tradicionalmente, os japoneses acreditavam que os kami, ou espíritos, viviam na natureza. Montanhas, lagos, quedas d’água, árvores e pedras eram respeitados e reverenciados em rituais que acabaram tornando-se a religião conhecida como Xinto, ou “o caminho dos deuses”. No Século IX, os monges budistas adotaram algumas práticas do xintoísmo, que havia se transformado na principal religião das pequenas aldeias. Através desse processo de aproximação da população, o Budismo passa a ser considerada a religião oficial no fim do Período Heia.
Os rituais de respeito praticados pelo xintoísmo e adotado pelo budismo tem ainda forte marca no Japão moderno, incluindo-se o mundo dos negócios, onde o ritual da troca de cartões de visita talvez seja o seu maior exemplo. O encerramento do pregão diário na Bolsa de Valores de Tóquio ou a abertura das lojas no início do dia nos centros comerciais obedecem a um processo ritual que lembra o comportamento dos religiosos nos templos.

One Response to O ritual: do caminho dos deuses ao comportamento nos negócios

  1. Daniela Louzada says:

    Gostei do conteúdo do seu blog Helio, confesso que é muito bom ter pessoas como vc que se preocupa em divulgar a cultura niponica de um ponto de vista diferente. Trabalho pra Nissan do Brasil e ao pesquisar no google informações sobre sites que tratassem das relações comercias entre o Brasil e o Japão, achei seu blog como referência. Amanhã comentarei com a Edna, sua tia, pois ela é minha prima e achei muita coincidência rs…
    Depois te explico melhor essa minha pesquisa, tenho certeza que sua experiência irá me auxiliar no trabalho que estou desenvolvendo com a Nissan Brasil e Nissan Japão.
    Parabéns pela iniciativa do seu blog!!

    Abraço,

    Daniela

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>